quarta-feira, 5 de abril de 2017

Geraldinho do Angical tem talento pra fazer e tocar viola caipira

Geraldinho, com a rabeca e o irmão Batista na viola - pé na estrada do sertão
O som da viola caipira faz parte da nossa cultura musical. O ponteado desse instrumento, suave e delicado, desperta a sensibilidade musical do povo goiano, assim como a do nordestino, mineiro, paulista, mato-grossense. Foi com prazer que descobri, recentemente, que a família da nossa Evinha, secretária de muitos anos lá de casa, é de uma formação musical invejável. Seu irmão José Geraldo Gonçalves dos Santos é sertanejo da gema, fazedor de viola e instrumentista de rabecão e também de viola. Conhecido como Geraldinho do Angical, cidade incrustada no sertão, foi aluno do mestre Minervino, que viveu e morreu em São Francisco (MG).
Geraldinho toca sempre bem acompanhado dos irmãos Batista e Estevão, como no vídeo abaixo. Tem talento não apenas para a arte de moldar a viola, como também para tocar de forma suave e harmônica. Todos na família são autodidatas, mas só Geraldinho revelou aptidão para feitoria de viola e serviços de marcenaria. 



Faz questão de agradecer o mestre Minervino (foto acima) pelos ensinamentos. E lembra:

“Ele [mestre Minervino] me convidou para ajudá-lo na oficina.
Comecei serrando os tampos, lixando e colando uns detalhezinhos,
tanto nas violas como nas rabecas. Com ele aprendi
que para ser um bom artesão, e pro instrumento ficar bom mesmo,
 tem de ter mão maneira, tem de ser paciente e ser detalhista,
 tem de ter força de vontade. E amor pela música e pelas folias”.
(Publicada no livro Artesanato de Minas)

Geraldinho é de origem humilde. Sandália nos pés, chapéu na cabeça, disposição e paciência para fazer aquilo que mais gosta: artesanato e música. É mais um personagem a enriquecer o interior brasileiro, de Minas Gerais e da região do São Francisco. É mais um artista desconhecido, longe da fama e do sucesso, mas, presente de forma incontestável na rica cultura do povo brasileiro.



Quando apresentou sua primeira viola a Minervino, Geraldinho ouviu do mestre: “Eh... O moço aprendeu a fazer a viola”. Essa frase ele não esquece e abre um sorriso ao repeti-la para os amigos e parentes.
E eu acrescento. Ele aprendeu a fazer viola ali, com o mestre Minervino, mas, o talento, já trazia nas veias, no coração e na mente sempre aberta para as artes. Ouçam a seguir um pouco de Renato Andrade, um dos grandes mestres desse instrumento tão popular.




2 comentários:

  1. Parabéns pelo Blog, mais uma janela para todos.
    Destaque para os senhores da Festa com rabeca e viola que dão o tom maior da cultura caipira.

    ResponderExcluir