quinta-feira, 28 de julho de 2016

Pra falar de saudade, melhor mesmo é na quinta-feira


Quinta-feira é um dia bom para se falar de saudade. Sexta-feira não dá tempo pra esse assunto. Sábado e domingo, então... nem pensar. Segunda-feira é um dia perigoso pra qualquer coisa. Terça-feira é dia que nem fede nem cheira. E quarta-feira, normalmente, tem futebol...
O melhor dia da semana, mesmo, é quinta-feira. Então, segue uma poesia, esse Haicai acima e uma música para nos ajudar a refletir sobre o tema. Optei por Tanta Saudade, de Djavan e Chico Buarque, que não é muito conhecida. Mas, o repertório sobre esse tema é vasto.

Saudade
José Carlos Camapum Barroso

Quero sentir saudade,
Mas a noite não deixa.
O latido do cão assusta,
A escuridão domina
O brilho das estrelas.
Até a lua se escondeu...

Como sentir saudade?
Saudade não se deseja,
Somos desejados por ela.
Saudade não se almeja.
Não se traça o quando
Nem por onde vai chegar.
Mostra sua face, se instala
E nem avisa ao se afastar...

De repente, estamos sós?
Nem saudade existe mais?

(Um vento bate na porta,
A brisa sopra pela janela...
Passos ecoam na calçada.
Não ouço latido do cão,
A lua traz réstia de luz
E um beijo doce na face.)

A saudade foi se embora,
Nem disse se vai voltar...



2 comentários:

  1. Olá amigo José Carlos, a saudade é esse sangue espiritual que une os poetas de língua portuguesa desde Camões, a ilusofonia... Lindo o seu poema! Obrigada pela visita ao Letra e fel, eu continuo florbeliando por ai... Abraços dessa amiga capixaba...Renata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso, Renata. A saudade nos une e o tema até trouxe sua grata presença por aqui pra matar um pouco a saudade dessa amiga capixaba... Obrigado pela presença e um abraço.

      Excluir