quarta-feira, 4 de abril de 2012

Trio Parada Dura vai homenagear a Santíssima Trindade


Um e-mail do amigo e jornalista Cláudio Tourinho reavivou na memória boas lembranças. Faz ele um convite especial e irrecusável: um happy hour com os jornalistas e as jornalistas que trabalharam na campanha eleitoral de 1998 e nunca mais tivemos oportunidade de fazer esse encontro, que é algo tão simples e tão saudável. Os compromissos – e a falta deles – nos afastou, cada um pra um canto, cuidando de nossas vidas e da sobrevivência.
Os ambientes de redação sempre foram muito saudáveis e de uma alegria contagiante. Não sei como eles são hoje, depois que os computadores interligados às redes sociais, os celulares, laptops, tabletes e outras modernidades encheram os jornalistas de informações on line, mas encurtaram bastante a capacidade de análise, o bom senso e a visão crítica a respeito dos fatos. Mas, isso já começa a fugir do tema...
A verdade é que conseguimos, graças à experiência de jornalistas como Carlos Max e Luiz Joca, criar no comitê eleitoral um ambiente muito parecido com o das antigas redações de jornais. O profissionalismo prevaleceu, cercado de muito companheirismo em um ambiente cheio de alegria e brincadeiras.
As três repórteres – Letícia Borges, Clara Favila e Eliane Trindade – eram “vítimas” preferidas das brincadeiras dos colegas. Também sabiam dar o troco... E o trabalho seguiu seu trilho natural, mesmo com sobressaltos, até o fim da jornada.
Finda a empreitada, seguimos nossos caminhos, mas mantivemos a amizade, o carinho e o respeito mútuos. Eu, mais ou menos envergonhado pelos ataques cotidianos às três meninas, fiz à época os versos abaixo, que hoje publico, juntamente com a bela canção de Moraes Moreira, na interpretação maravilhosa de três meninas: Teresa Cristina, Jussara Oliveira e Rita Ribeiro.
Os demais... Sei lá se se redimiram... Mas, ainda há tempo. Joca pode fazer um poema – não vai diminuir sua condição de "macho" nordestino. O velho Max pode gravar uma ópera, com sua voz de barítono arrependido. E Tourinho, sempre o mais ousado, pode arriscar uns passos de balé, vestido em um elegante Tutu Italiano. O título da matéria será assim: Trio Parada Dura homenageia a Santíssima Trindade.
Ave!
Santíssima Trindade
José Carlos Camapum Barroso

Era uma...
Eram duas...
Eram três...

A arrancar de nós tantos ais,
Tantas exclamações!!!
Quantas reticências...

Todas, por serem damas,
Madonas em excelência,
Passaram sobre os “donos”,
Tragados pela fina rebeldia.

Ah! Nós a nos olharmos
Atônitos, suplicando dia-a-dia:
Deem-nos gota de elegância,
Um gole só dessa picardia!
Misturem tudo com charme,
Acrescentem suco de sabedoria!

Teremos, então, poção mágica,
Tão sonhada pelos príncipes
Da Itália, de Minas e da Bahia.
Afogaremos nelas as frustrações,
Nosso despeito, toda a vaidade...
Beberemos o vinho das deusas,
O néctar da Santíssima Trindade.

Viveremos, felizes para sempre,
Conservados no leito da amizade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário