sábado, 30 de abril de 2011

Sândalo Nogueira e as belezas naturais do rio Preto

Meu amigo José Clauber, cantor, compositor e jornalista, enviou-me um e-mail em que fala do artista baiano Sândalo Nogueira, nascido em Formosa do Rio Preto, mas morador de Brasília, onde aposentou-se na área de tecnologia do Banco do Brasil.
Sândalo é compositor de mão cheia e faz belos arranjos para suas músicas, em parceria com Laercio Correntina, baiano também, nascido na cidade de Correntina, como o próprio nome indica. Os dois ajudam a entender a riqueza musical e poética do nosso Brasil imenso.
A fonte de inspiração de Sândalo é a região do rio Preto, que dá nome à sua cidade natal, no oeste da Bahia, situada a mais de mil quilômetros de Salvador. O rio é profundo, por isso suas águas, na superfície, ficam turvas. Faz parte da bacia hidrográfica do rio Grande, o maior afluente da margem esquerda do São Francisco, o Velho Chico.
Sândalo é poeta e defende a preservação ecológica da região, que tem uma exuberante vegetação, formada pelo cerrado, resquícios da caatinga e da Mata Atlântica. A voz do rio e a natureza rica e bela tocam o coração e falam ao ouvido sensível do artista.
Como disse o Clauber em seu e-mail, melhor do que tomar banho nas águas do rio Preto é ouvir a Voz do Rio, canção composta pela dupla e interpretada, no vídeo abaixo, por Laercio Correntina. As imagens que aparecem são todas da região.


2 comentários:

  1. Uma jóia esse vídeo, essa canção, essas imagens que alternam a exuberância do cerrado, com o seu rio Preto, sua fauna e sua flora, e a aspereza do paisagem devastada, sem fauna e tornada um deserto...Laércio Corretina é muito conhecido nos circuitos dos cantores goianos, aliás essa paisagem é a nossa paisagem comum do cerrado bahiano/goiano e esse rio é quase filho do Araguaia....

    ResponderExcluir
  2. SÂNDALO NÃO É APENAS UM GRANDE COMPOSITOR, MAS UM GRANDE GUERREIRO QUE LUTA PELA PRESERVAÇÃO DO NOSSO RIO PRETO. RIO ESTE QUE SOFRE A CADA DIA COM DESMATAMENTOS E PRODUTOS QUÍMICOS USADOS NAS FAZENDAS PRÓXIMAS E QUE ESCORREM PARA O NOSSO RIO COM AS CHUVAS. SUAS ÁGUAS QUE DURANTE A MINHA INFÂNCIA ERA DE GOSTO SUAVE, HOJE TEM ATÉ CHEIRO RUIM. FORMOSA DO RIO PRETO, HOJE COM MAIS DE VINTE MIL HABITANTES NÃO POSSUI TRATAMENTO DE ÁGUA E SUA POPULAÇÃO SOFRE COM AS MAIS DIVERSAS DOENÇAS. ESPERO QUE OUTRAS PESSOAS COMO SÂNDALO NOGUEIRA, CONTINUEM LUTANDO POR ESTE RIO QUE É, MESMO ABANDONADO PELAS AUTORIDADES, LINDO E POÉTICO.
    GILDEMÁRIA OLIVEIRA FILHA DE FORMOSA.

    ResponderExcluir