sábado, 18 de junho de 2011

Maria Bethânia, a senhora de engenho... E tantas artes

De engenho e arte. Uma senhora de extraordinária beleza espiritual, de forte  presença e voz marcante, mas, ao mesmo tempo, suave, doce, meiga... Mostrou-se determinada desde criança, quando dizia que iria ser artista. Tornou-se cantora e uma apaixonada pela música, mas traz na alma os dotes de atriz. Foram sua voz e sua presença no palco que levaram Augusto Boal, em 1965, a convidá-la para substituir Nara Leão, que estava doente, no espetáculo Opinião.
Maria Bethânia é uma das maiores interpretes de sua geração. Canta com emoção e sempre soube aliar música, letra e poesia, gravando discos e apresentando shows que se tornaram antológicos.
Bethânia nasceu no dia 18 de junho de 1942, exatamente no mesmo dia em que nascia em Liverpool, na Inglaterra, aquele que viria a ser um dos maiores cantores e compositores da música pop mundial: Paul McCartney.
O nome de Maria Bethânia já nasceu por inspiração musical. Foi escolhido pelo irmão Caetano Veloso por causa da valsa de Capiba, interpretada por Nelson Gonçalves. Os versos da canção dizem: "Maria Bethânia, tu és para mim a senhora de engenho...". E eu acrescento: de engenho e arte. Muita arte e muito talento 
Bethânia é daquelas pessoas que valorizam a vida e os sonhos. Por tudo isso, nada melhor do que ouvi-la cantando Sonho Impossível. Depois, para terminar o sábado, que tal relembrar a voz majestosa de Nelson Gonçalves cantando Maria Bethânia?




Um comentário:

  1. Nelson é imortal, com sua voz de tenor e canções que marcaram uma época...
    aliás, ele gravou inclusive com Bethânia, e seu disco com Raphael Rabello é indescritível de tão belo...isso é que é uma voz poderosa!

    ResponderExcluir